Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A preservação do patrimônio cultural é uma tarefa complexa e vital, que demanda a aplicação de diversas técnicas e estratégias. Uma das abordagens mais eficazes para garantir a longevidade dos bens culturais é a conservação preventiva, um conjunto de medidas que visam minimizar as alterações dos objetos ao longo do tempo. Este método inclui ações como o controle ambiental e o manuseio adequado das peças, fundamentais para a proteção do acervo.

Recentemente, uma equipe de conservação enfrentou desafios significativos ao tratar um conjunto de obras, identificando problemas recorrentes que comprometem a integridade dos materiais. Entre os problemas detectados, destacam-se os danos causados pela tinta ferrogálica, conhecida por provocar oxidação e corrosão do papel, ataques de insetos, acidez que torna as folhas quebradiças, e problemas advindos de manuseio inadequado ao longo dos anos. Tais livros, frequentemente manipulados para pesquisas diversas, exigem cuidados especiais pós-conservação para manter-se em bom estado.

Reconhecendo a necessidade de intervenção educacional, o projeto em curso propôs a realização de um minicurso intitulado “Orientações para a Conservação de Livros Eclesiásticos”. Este curso é direcionado aos profissionais que lidam diretamente com esses acervos, abrangendo tópicos essenciais como o manuseio correto, a identificação de agentes de degradação e as melhores práticas para lidar com esses problemas.

Esse curso foi oferecido no dia de hoje, 28 de maio, no Regional Leste 3. Os participantes tiveram a oportunidade de aprender técnicas de conservação acessíveis e desenvolver uma maior conscientização sobre a importância de preservar essas coleções. Além disso, eles foram capacitados a transmitir os conhecimentos adquiridos para seus colegas, ampliando o impacto das práticas de conservação no ambiente de trabalho.

Ao disseminar conhecimento sobre a importância do patrimônio cultural e as práticas de sua preservação, o projeto busca alinhar-se com os paradigmas de sustentabilidade atualmente discutidos no campo do patrimônio cultural. A conservação preventiva não só protege os objetos históricos e culturais, mas também promove uma cultura de responsabilidade e cuidado com o patrimônio, assegurando que as gerações futuras possam continuar a desfrutar e aprender com esses valiosos recursos históricos.

Palestrantes

Maria Aparecida Stelzer Lozório

Mestranda em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES (2022-2024), Bacharel em História pela Universidade Federal do Espírito Santo – UFES (2022), Licenciada em História pela Universidade Federal do Espírito Santo – UFES (2021), Técnica em Multimeios Didáticos pelo Instituto Federal do Espírito Santo – IFES (2017), Especialista em Gestão Pública pelo Instituto Federal do Espírito Santo – IFES (2015), Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Espírito Santo – UFES (2013) – Registro no Conselho Regional de Biblioteconomia 6ª Região MG/ES – 843/ES.

Desde o ano de 2011 se dedica à conservação de obras sobre papel, participando de cursos e projetos de preservação de acervos públicos e particulares. No presente projeto trabalha como conservadora e trabalhou em projetos anteriores, tais como: Projeto Índice Onomástico dos Livros Cartoriais Referentes as Paróquias de Guarapari, Anchieta, Domingos Martins e Santa Leopoldina 1840 – 1890 (2022), Projeto de Tratamentos Emergenciais e Conservação de parte do Acervo da Casa de Cultura Zoé Rodrigues Misságia (2020), Projeto de Conservação/Restauração do Acervo em Papel do Museu do Colono – Santa Leopoldina – ES (2017) , Participou do Projeto de Conservação de Obras Raras do Acervo de Coleções Especiais da Biblioteca Central da UFES (2011), dentre outros.

Karoline Marques Stelzer

É conservadora-restauradora, com graduação em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Espírito Santo (2010) e mestrado em Conservação-Restauração de Bens Culturais pela Universidad Politècnica de València (2021) – Espanha.

Desde o ano de 2005 trabalha com conservação-restauração de bens culturais, em suportes como madeira policromada, pinturas de cavalete, obras sobre papel (obras de arte, documentos gráficos, documentos eclesiásticos manuscritos) e arte contemporânea. Trabalhou no Núcleo de Conservação e Restauração da UFES como bolsista e posteriormente como prestadora de serviços em projetos como Projeto Museu de Arte Sacra (parceria entre o NCR-UFES e ArcelorMittal) e Projeto Restauração de Pinturas Palácio Anchieta e Residência do Governador, dentre outros.

Atualmente é restauradora e pesquisadora independente, trabalhando no atual projeto como pesquisadora e na produção de documentação. Trabalhou e desenvolveu projetos como: Projeto de Conservação de Parte do Acervo de Pinturas Naïf da Galeria Homero Massena (2022-23), Projeto de Tratamentos Emergenciais e Conservação de Parte do Acervo da Casa de Cultura Zoé Rodrigues Missagia do Município de IconhaES (2020-21), Projeto de Conservação dos Livros Manuscritos da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim-ES (2019), Projeto Conservação e restauração de parte do acervo em papel do Museu do Colono de Santa Leopoldina-ES (2017), Altares Laterais, Arco-Cruzeiro e Trono da Igreja Nosso Senhor dos Passos em Cachoeiro de Itapemirim (2016) e Projeto de Conservação do Cartulário de Itapemirim (2014), dentre outros.