Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

A Arquidiocese de Vitória está sediando o XXXVII Simpósio da Sociedade Brasileira de Canonistas e do XI Encontro dos Servidores de Tribunais Eclesiásticos. O evento acontece no Hotel Senac, na Ilha do Boi, reunindo aproximadamente 170 participantes, entre canonistas e servidores dos tribunais eclesiásticos de todo o Brasil.

Neste 9 de julho, três conferências de destaque com participação internacional foram o ponto alto do simpósio.

Mons. Alejandro Bunge, juiz auditor, abriu o dia com a conferência sobre “Jurisprudência da Rota Romana”. Ele revelou que mais de 80% das causas apresentadas aos Tribunais Eclesiásticos buscam comprovação de nulidade matrimonial. “O Tribunal busca os fatos para, com base neles, poder dizer que ‘consta nos atos a nulidade'”, afirmou Mons. Bunge, destacando a importância de decisões bem fundamentadas.

Seguindo a programação, Mons. Carlos Encina, oficial da penitência, abordou o tema “Tribunal como Misericórdia a Serviço dos Confessores e Penitentes”. Ele enfatizou o papel do tribunal eclesiástico não apenas como órgão de julgamento, mas como um instrumento de misericórdia que auxilia confessores e penitentes no caminho da reconciliação.

A terceira conferência do dia foi conduzida por Mons. Krzysztof Nykiel, regente da penitenciária, que discutiu “O Sacramento da Penitência”. Mons. Nykiel destacou a importância deste sacramento na vida dos fiéis e seu papel central na experiência da misericórdia divina.

O simpósio e o encontro dos servidores de tribunais eclesiásticos é a oportunidade para uma troca de conhecimentos e experiências, fortalecendo a atuação dos profissionais da área canônica. As discussões promovidas nas conferências de hoje contribuem significativamente para o aprimoramento das práticas nos tribunais eclesiásticos, reforçando o compromisso com a justiça e a misericórdia na Igreja Católica.

O evento prossegue nos próximos dias, com uma agenda repleta de painéis e atividades.